logo-final Created with Sketch.

Quais são os comerciais que mais influenciam as escolhas alimentares dos brasileiros?

O Brasil foi o primeiro país da América do Sul a implantar a televisão, em 18 de setembro de 1950. Desde então, sua presença e sua influência nos hábitos dos brasileiros são inquestionáveis. Mas já parou para pensar quais são as publicidades que estão interferindo na alimentação de adultos e crianças? Para responder essa questão, um grupo de pesquisadores analisou os comerciais de alimentos e bebidas nos três principais canais abertos da TV brasileira. Saiba mais.

Pesquisadores
Julia Soares Guimarães, Laís Amaral Mais, Fernanda Helena Marrocos Leite, Paula Martins Horta, Marina Oliveira Santana, Ana Paula Bortoletto Martins e Rafael Moreira Claro
Instituições
Publicação
Maio de 2020

A televisão aberta é uma das fontes favoritas de informação e entretenimento dos brasileiros, alcançando 93% da população. Devido a sua ampla penetração, esse meio de comunicação tem grande influência nos hábitos, inclusive alimentares, de criança e adultos. Este estudo mostra que os ultraprocessados, como lanches de redes de fast food e refrigerantes, dominam as publicidades dos principais canais de TV aberta do País. Além disso, os dados oferecem um suporte importante para o desenvolvimento de ações nos setores público e privado, de forma a regular a publicidade de alimentos prejudiciais à saúde, promover a conscientização dos consumidores, estimular ambientes alimentares mais saudáveis e prevenir doenças como obesidade, diabetes, pressão alta e doenças do coração.

Metodologia

Oito dias não consecutivos de gravações, durante 18h por dia

Foram gravados todos os comerciais dos três canais de TV mais populares do Brasil (Globo, Record e SBT), que representam 90,5% do total da audiência do País, durante oito dias não consecutivos — quatro dias de semana e quatro dias de finais de semana — escolhidos aleatoriamente entre 1º e 30 de abril de 2018, das 6h à meia-noite. As inserções de produtos alimentícios foram filtradas e classificadas de acordo com seu perfil nutricional e de acordo com o momento em que foram veiculadas. Ao todo, foram gravados 7.991 comerciais ao longo de 432 horas de programação, dos quais 1.156 (14,2%) foram relacionados à alimentação, sendo que 922 (11%) desses tratavam especificamente de alimentos ou bebidas.

  • 922

    Comerciais de produtos alimentícios ou bebidas
  • 14,2%

    Relacionados à alimentação

Conclusão

90% dos comerciais de alimentos ou bebidas incluíam pelo menos um produto ultraprocessado

Em um ano, cada brasileiro é exposto a 657 comerciais de alimentos ultraprocessados, em média.

O estudo concluiu que 9 em cada 10 comerciais de alimentos ou bebidas incluíam pelo menos um produto ultraprocessado. Refrigerantes (28,9%), bebidas alcoólicas (14,3%) e lanches de redes de fast food (13,8%) foram os três produtos mais promovidos e representaram mais da metade de toda a publicidade de alimentos e bebidas gravada no período. Concluiu-se também que os alimentos e bebidas são divulgados com mais frequência durante os finais de semana (13,2%) do que durante dias de semana (10,4%). Os comerciais de alimentos in natura e minimamente processados foram mais comuns pelas manhãs do que à tarde e à noite. Por outro lado, não foi identificada diferença entre a veiculação de publicidade de alimentos ultraprocessados entre esses dias, ou durante o período do dia. Considerando que, em média, a população brasileira assiste televisão durante pelo menos três horas por dia e que a média de inserções de comerciais de alimentos ultraprocessados foi de 0,6 por canal e por hora, no decorrer de um ano cada brasileiro é exposto a 657 comerciais desses produtos.

Tendo sido a primeira pesquisa no Brasil a seguir o protocolo INFORMAS ((International Network for Food and Obesity / Non-communicable Diseases Research, Monitoring and Action Support) de publicidade televisiva, este estudo permitiu também a comparação com os resultados de 22 outros países que realizaram o mesmo levantamento. As similaridades entre os resultados, com produtos ultraprocessados tendo uma presença marcante entre os comerciais de alimentos e bebidas, revelam um padrão global nas estratégias do setor, especialmente no que diz respeito a grandes corporações transnacionais.

  • 57%

    De toda a publicidade de alimentos referia-se a refrigerantes, bebidas alcoólicas e lanches de redes de fast food

Artigo Científico

Materiais de apoio

Leis e projetos para se inspirar

Casos inspiradores

Fale com a gente

Tem alguma dúvida, sugestão, crítica ou quer ajudar a aumentar o debate sobre alimentação saudável e adequada no cenário público? Mande um e-mail para contato@alimentandopoliticas.org.br ou preencha o formulário da página de contato.

Receba as novidade sempre em primeira mão. Assine nossa newsletter

Leia mais pesquisas sobre Publicidade de alimentos

Receba as novidade sempre em primeira mão. Assine nossa newsletter